Anta Gorda

Promotor pede a prisão preventiva do vizinho de Jacir Potrich

Para o Promotor de Justiça de Encantado, André Prediger, não há dúvidas de que o vizinho de Potrich

é o autor do desaparecimento de Jacir Potrich

Completando nesta semana, cinco meses do desaparecimento do bancário de Anta Gorda, Jacir Potrich, o Promotor de Justiça de Encantado, André Prediger, denuncia o vizinho do bancário.

O Promotor garantiu que sua análise sobre o inquérito foi de forma imparcial e que teve contato com o mesmo somente a partir do dia 01 de Abril e desde então, ele e toda a sua equipe analisaram durante 10 dias, todos os detalhes que compõe os autos do inquérito.

Relatando sobre sua experiência de atuação, bem como sendo Promotor de Justiça há mais de 20 anos e quanto aos crimes materiais, que exigem prova de delito, no caso um exame de corpo de delito e que mesmo não havendo o corpo do desaparecido, existem nos autos inúmeras provas de que foi o vizinho o autor do desaparecimento de Jacir Potrich.  “Eu como promotor de Justiça me convenci de que foi ele”.

O Promotor ingressou com a ação penal, denunciando o acusado, por crime triplamente qualificado, mais o crime de ocultação de cadáver. Também alegou que existem contradições nos depoimentos e que familiares também mudaram os depoimento após, e que também o denunciado além de modificar as câmeras, zerou imagens existentes nos aparelhos de gravação referente às mesmas.

Nos autos da denúncia do Ministério Público contra o denunciado, o Promotor destaca que “Saliente-se que o fato de não ter sido encontrado o corpo da vítima ocorre justamente porque o denunciado providenciou no seu desaparecimento, não podendo, portanto, restar beneficiado por tal proeza com o seu não processamento criminal. Embora se saiba que os crimes materiais, quais sejam, aqueles que deixam vestígios, seja relevante o exame de corpo de delito para a comprovação da materialidade, tem-se que o mesmo, em alguns casos, é prescindível, haja vista que existem outros meios de prova da existência do crime”, citando Código de Processo Penal em que os indícios também são provas processuais.

No pedido de Prisão Preventiva do denunciado, o Promotor afirma que como muito bem lançado relatório da autoridade policial, várias linhas de investigação foram analisadas e seguidas, chamando a atenção o de um provável crime de homicídio praticado pelo denunciado e que tal linha de investigação ganhou força nas análises feitas no local dos fatos, bem como pelas imagens captadas pelas câmeras de segurança da casa do próprio denunciado, pela mudança em depoimentos e entre tantos outros fatores que comprovam a autoria do crime.

Também declarou haver inúmeras imagens de câmeras nos autos e que é possível ver em uma delas, Jacir Potrich entrando no quiosque – local que não era guarnecido por câmeras – e nunca mais retornado, e em outro ponto, o denunciado também entrando no quiosque, onde pelas imagens captadas, ambos permanecem juntos por cerca de um minuto, tendo o mesmo retornado do local, momentos em que passa a desviar a direção das câmeras.

Confira a reportagem em vídeo com o Promotor de Justiça, no nosso Canal You Tube, na página do nosso Facebook – Jornal Notiserra ou pela TV Web do site.

Jornal Noitiserra Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
×
Jornal Noitiserra Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
Latest Posts